Audax Trail Tour – São José do Hortêncio/ RS – 31 de março de 2018

Minhas Mandiocas e Meus Aipins,

Hoje de manhã, a viagem até o Vale do Caí, apesar dos resquícios de uma forte gripe e do trânsito um pouco pesado, foi muito tranquila e, na chegada, senti-me privilegiado por poder desfrutar da bela paisagem oferecida da Ponte Engenheiro Daniel Ribeiro sobre o Rio Cadeia – divisa dos municípios de Presidente Lucena e São José do Hortêncio.

Como acredito que todos saibam, São José do Hortêncio é a capital nacional da manihot esculenta. Por isso, na entrada da cidade, não resisti à curiosidade, e fui me embrenhar entre os pés de inhame.

Esqueci-me de comentar, e o faço agora: às 11 horas da manhã deste sábado, na cidade mencionada no título e no parágrafo anterior, teve início o circuito de trilhas promovido pela Audax Eventos Esportivos. Apesar de não estar inscrito na primeira prova da temporada, resolvi correr na categoria “pipoca”. Ainda tentei me alistar alguns minutos antes da largada, mas não foi possível – os eventos da Audax, pela qualidade de que são cobertos, estão cada vez mais disputados, e, conforme vocês poderão observar nas fotos a seguir, os guris (Edu, Rossato e companhia), mais uma vez, obtiveram o merecido sucesso. Já aproveito para deixar aqui os meus parabéns a toda a Equipe Audax, e para desejar que eles continuem montando provas cada vez mais instigantes e desafiadoras.

Devo dizer que, para não deixar que a gripe me prejudicasse, tomei um chá, recomendado por um amigo, de feijão africano misturado com artemísia. Abaixo, uma meia hora antes da largada, com meu amigo Edu Marques – “culpado” (organizador) pelo evento.

Logo após cumprimentar o parça, fui dar uma volta pelo local do evento, que estava tomado pelas diversas equipes e assessorias oriundas de diferentes regiões do Rio Grande do Sul. Encontrei este stand de óculos esportivos e gostei de vários. Os caras têm loja em Porto Alegre, e, se alguém tiver interesse, é só me pedir que eu divulgo o endereço em particular.

Como comecei a me sentir bem, aproveitei também para tirar fotos com novos amigos,

e com amigos novos!

Aí veio a hora do aquecimento, que foi promovido pela Avante Life Style. O professor Guilherme Silva (à frente, de camisa azul e com o microfone) utiliza o sistema de treinamento Flowfit, que, através de padrões de movimentos funcionais, permite que o corpo do atleta trabalhe de forma integrada. E lá fui eu, cheio de empolgação, fazer Flowfit!

Dei tiros nos inimigos utilizando o corpo todo!

Abusei da circundução dos quadris (o chá estava fazendo efeito)!

E, depois, pedi perdão por escrever tanta bobagem!

Para finalizar, o professor Guilherme nos ensinou a fazer o “raio” com a mãozinha no queixo – movimento funcional e meigo… muito meigo!

Para quem não conhece o local da prova, aí está uma vista do ponto de partida. Após esta linda relva que forra o início da primeira subida, começa um sobe e desce sem fim pelas montanhas de barro, poças de água e lama.

E vamos para a largada!

Eu estava cada vez mais animado!

Abaixo mostro o vídeo da largada e da minha chegada após os 12 Km. A prova foi muito difícil devido à chuva fina no início, e ao terreno extremamente escorregadio. Some-se a isso a minha estupidez de não usar um tênis apropriado para trilhas.

Cheguei imundo e louco de sede!

Corri com um tênis fino e sem travas, e tomei vários tombos ao longo do percurso – por sorte, não me machuquei! Acho que o chá também ajudou, mas eu vi algumas coisas meio estranhas no meio do mato! A primeira foi o tubarão-cavalo da foto abaixo!

E, parece que ele tinha atacado aquele cidadão conhecido como the nigga dick! Eu passei pelo acessório…

Mas, vamos deixar assim! A Audax Trail Tour ainda terá mais quatro etapas: Santa Maria do Herval (12/ 05), São Francisco de Paula (07/ 07), Nova Petrópolis (29/ 09), e Picada Café (10/ 11). Se Deus permitir, estarei em todas!

E por falar no bom e maravilhoso Criador, desejo que ele continue nos abençoando e protegendo dos terrenos escorregadios que nos jogam no chão!

Abraços para quem for de abraço, e beijos para quem for de beijo!

Juarez Arigony

Anúncios

Treino da Equipe Daniel Rech (EDR) – Parque Marinha do Brasil – 17 de março de 2018

Meus Kettles e Minhas Bells,

Hoje, tive a honra de substituir o Professor Daniel Rech, que foi a Nova York correr a meia, no treino da equipe no local referenciado no título. Embora o quórum tenha sido baixo, a presença daqueles que compareceram – só o escol – me proporcionou a possibilidade de ajudá-los de forma modesta e, por isso, uma grande alegria.

Eu já disse anteriormente, – aqueles que leem meus posts já sabem –: “antes da hora é a hora; em cima da hora é atraso; e depois da hora é contravenção disciplinar”. Por isso, como o Professor Daniel havia marcado o treino para às oito horas, cheguei com uma certa antecedência (às sete) para poder preparar o ambiente.

O dia estava maravilhoso! Fazia um sol que tornou o último sábado do verão de 2018 digno de grandes recordações e saudades. Eu estava sentado, apreciando o descortinar do dia ao levante do Lago Guaíba quando os atletas da EDR começaram a chegar – as primeiras foram a Tati e a Laura.

Pouco depois, chegou a Ana Rita.

Enquanto aguardávamos a chegada dos colegas, observei a movimentação de dois rapazes que traziam alguns kettlebells e se posicionaram ao lado do busto do Marquês de Tamandaré.

Durante um bom tempo, eu fiquei observando os caras, e considerei que o treinamento era bastante difícil, envolvendo muita força e resistência muscular. O de camisa preta é o Professor Sandi Martin e o de camisa branca é o Professor Guto Rigo.

E a gurizada da equipe foi chegando! Aí em baixo está o último grupo que saiu para correr: o Coronel com o Alessandro; e a Ana Rita, a Silvana e a Chris. Aliás, o treino dessas três foi interessantíssimo: uma hora dividida da seguinte maneira – 59 minutos caminhando e 1 minuto correndo! Mas pense numa corrida de 1 minuto – chegaram babando!

Mas eu estava realmente impressionado com o treinamento dos rapazes! Debaixo de um solaço de uns 30°C eles continuavam levantando as gyrias (kettlebells em russo) e fazendo cada vez mais força! Abaixo, o Professor Guto Rigo realizando o jerk.

Quem me conhece sabe que eu não posso ver homem bonito! Foi numa das pausas que eu não me sofri e fui até lá conversar com eles!

Os dois professores foram extremamente atenciosos comigo, e me deram uma série de explicações que eu compartilho com vocês aí em baixo.

Depois deste papo bacana, o pessoal que tinha saído para correr começou a chegar. Enquanto a Ana Rita, a Chris e a Silvana brindavam com uma água Perrier estupidamente gelada, a Tati e a Laura usufruíam do alongamento ministrado pela Professora Laura.

Pera aí! Deixa eu mostrar melhor o alongamento! Também quero aproveitar para pedir à Prefeitura da cidade de Porto Alegre que providencie o corte da grama do parque. O mato está tão alto que a Professora Laura não teve como utilizar os colchonetes para realizar o seu trabalho. O que solicito não visa apenas o interesse dos atletas que utilizam o parque para treinar, mas, sim, o interesse de todos os que desejam uma cidade limpa e em melhores condições de higiene.

Terminamos o treino com um alegre e carinhoso abraço! E eu termino o post com um versinho que elaborei ao escolher as fotos para colocar neste texto – coisa mais querida!

Meu nome é Juarez, e o treino de hoje não foi meu

Afinal, foi o Professor Daniel que escreveu!

Mas posso dizer que quem foi ficou feliz, curtiu e correu

E quem não foi ficou triste, chorou e se… perdeu!

Que o maravilhoso Deus e Senhor do Universo continue permitindo que ergamos as gyrias da vida com potência cada vez maior!

Abraços para quem for de abraço e beijos para quem for de beijos!

Juarez Arigony