A Metodologia do Ensino do Surf

Meus Regulars e Minhas Goofies,

Ontem, sábado, 03 de dezembro de 2016, partimos para a nossa aula de surf em Tramandaí. Desta vez, diferentemente da primeira, o local escolhido pelo Professor Dr. Fabiano Bossle foi a plataforma de pesca da praia conforme vocês verão nas fotos a seguir.

Para começar, gostaria de fazer, aqui, mais uma pequena referência elogiosa ao trabalho do Professor Bossle. Ontem, a Colônia de Férias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em Tramandaí encontrava-se interditada e não pudemos utilizá-la como ponto de apoio para a aula, fato que causou imenso transtorno. Outra coisa: será que a universidade não poderia disponibilizar um ônibus em que fosse possível se levar as pranchas? Estas, de propriedade do professor, são levadas pelo próprio em seu carro e com o consumo da sua gasolina. A impressão que se tem é de que cada vez mais obstáculos se apresentam para dificultar a atividade. E isso acontece sem que nenhuma autoridade acadêmica, com um mínimo de bom senso, tome qualquer atitude para viabilizar de forma mais consistente o trabalho do já citado professor. A continuar assim, tudo leva a crer que a disciplina, muito em breve, não será mais disponibilizada, o que traria um grande prejuízo para os alunos da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança (ESEFID). Prezado Professor Bossle, em meio a todas as intempéries, valorizo ainda mais o seu esforço e empenho. E, sem nenhuma pretensão de ser o porta-voz dos colegas que cursam a disciplina, penso que, neste caso específico, conto com o apoio de todos.

Após este breve desabafo, vamos ao propósito deste post: contar um pouquinho do que foi a nossa segunda aula de surf. E começo ressaltando uma coisa que é de fundamental importância: depois de uma semana de exaustivas batalhas pelo desenvolvimento da educação neste país, deixem os professores dormirem um pouco!1

Eles também têm direito a tomar um café no Maquiné como qualquer mortal que habita o sul do Brasil.

2

Mais ainda: não só os professores, mas todos os seres humanos deveriam escutar as fabulosas aventuras do Professor Jacson Severo Encostado no Poste!4

E, depois de muitas histórias, chegamos ao pátio da nossa escola – a Plataforma de Pesca de Tramandaí – colossal obra de rara beleza arquitetônica naval.
6

Num dia bastante nublado e prenunciando chuva, a Vitória, a Carolina e a Isadora chegaram alegrando o ambiente, desfilando e espalhando sorrisos sobre as úmidas areias tramandaienses.

8

E, tão logo se fechou a passarela, o Professor Bossle revisou a teoria básica a respeito da metodologia do surf.

10

Na sequência, fomos para a água divididos em duplas da seguinte maneira: primeiro um seria o professor do outro por 45 minutos; logo após, o outro seria o professor do um pelo mesmo tempo. Entenderam? Simples e extremamente prático e pedagógico! Vejam, abaixo, as duplas entrando no mar.

12

Deve-se entrar na água puxando a prancha pelo leash com a mão o mais próximo possível do copinho (local da prancha onde a cordinha é amarrada). Dessa forma, o bico da prancha apontará para a areia e a rabeta para dentro do mar. Vejam, abaixo, a demonstração do professor Henrique.

25

Abaixo, vê-se as duplas acompanhadas pelos monitores.

14

A primeira tarefa a ser realizada para se seguir, corretamente, a metodologia disseminada pelo mestre Bossle consiste em, com o auxílio do professor, deitar o aluno sobre a prancha de forma que ambos – aluno e prancha –  fiquem estáveis. O bico da prancha não pode afundar na água, e nem ficar muito elevado.

19

O professor segura a borda lateral da prancha com uma das mãos, e com a outra empurra a rabeta para colocar o aluno na onda. O professor escolhe a onda e, apenas, avisa para o aluno o momento em que dará o empurrão – “Vai!”.

20

Após o “lançamento”, o aluno, sobre a prancha, zingra feliz, alegre e sorridente as águas do oceano!

21

Na segunda fase da metodologia, o professor determinará o momento em que o aluno deve começar a remar. O aluno entrará na onda através da própria remada e, ainda, com o auxílio do empurrão do professor.

Na terceira fase, o aluno, após entrar na onda, erguerá o tórax da prancha com o auxílio dos braços. Este palhaço aí em baixo resolveu fazer graça e ergueu os braços! Bobalhão!

38

Na quarta e última fase, o aluno escolhe a onda, rema e entra sozinho na mesma. O professor, à frente do aluno, apenas acompanha o processo e fornece algumas orientações para corrigi-lo. Se for possível, nesta fase, o aprendiz ficará de pé. Se não, ele, apenas, aproveita e curte o “jacaré”!

23

Para não estragar a prancha, não se deve deixar que as suas quilhas batam na areia do fundo do mar. Sendo assim, para evitar o prosseguimento em direção à parte rasa, o aluno, já com absoluto domínio do artefato sobre o qual se encontra deitado, deve fazê-lo girar para dentro do mar, saindo da onda e evitando que aconteça o infortúnio anunciado acima.

24

Na areia, enquanto o Professor Bossle ministrava na água, a Tanise dava um jeito na coluna do Sérgio.

28

Um conselho: se fores dar aula de surf para um grande número de crianças, trate de proporcionar alguma atividade, na areia, para elas enquanto estás no mar (acho bom até levar um/a recreacionista). Caso contrário, elas ficarão entediadas e começarão a perturbar a paz e a tranquilidade dos demais banhistas – ninguém merece!

O Pablo ficou furioso comigo! Olha só os “oião” atravessado dele pra mim! A propósito: eu fiz dupla com a Vitória.

31

Questão que caiu na prova do último ENADE: marque uma das alternativas abaixo. O que tem de mais bonito na foto a seguir?

  • (A) A Vitória;
  • (B) A franja do Juju;
  • (C) A sunga do Litram (creindeuspai!).

32

Quando eu e a Vitória estávamos saindo da água, olha só quem encontramos na beira da praia: o Kelly Slater da ESEFID, Professor Dr. Eduardo Cadore. Que sorte e que prazer! Professor Cadore, um grande abraço deste seu aluno e admirador!

33

As práticas na natureza nos proporcionam encontros maravilhosos! Vejam a beleza e a imponência da garça abaixo!

43

O mar, então, começou a crescer! O Professor Bossle preocupava-se com a excepcional destreza de seus discípulos junto às borrascas marítimas.

41 Foi o momento de tirar o time de campo, ou melhor, do mar!
48

Sob o gazebo do Dante, começamos a bater em retirada! Observem, na foto abaixo, a tristeza do nosso querido Nacho – popularmente conhecido por Mogli, o menino lobo. É que ele recém tinha tatuado duas meigas cabeças de dragão (uma no peito e outra nas costas), e não pôde participar mais efetivamente das atividades tal como fizera na primeira aula (veja o post anterior). El niño estaba muy deprimido!

50

E vejam só que coisa mais querida! O Joãozinho conversando com o buzão antes de embarcarmos para a viagem de volta!

51

Gente, é brincadeirinha! Não foi nada disso! É que vocês sabem como é passeio de pobre: sempre chove e, na volta, o ônibus estraga!

52

Para resolver o problema – limpador de para-brisas quebrado – contamos com o safismo e as peripécias do nosso Rodrigo Motora,

54

E ainda tivemos a sorte de eu ter, na mochila, um dos parafusos novos que eu havia comprado para o limpador de para-brisas da minha Romi-Isetta (recém-nascidos, olhem no Google!).56

Amigos, apesar da chuva na volta e das dificuldades enfrentadas em virtude do mau estado de conservação do ônibus, a aula foi excelente. Excelente também foi a oportunidade de convívio e confraternização dos colegas da ESEFID nesta fantástica prática junto à natureza.

No próximo sábado, 10 de dezembro de 2016, teremos a nossa última aula de surf do semestre corrente. Mal posso esperar pela repetição dos agradáveis momentos que vivi no dia de ontem.

Enquanto aguardamos, peço ao bom e eterno Pai que continue nos abençoando e protegendo em todos os mares, e nos enchendo de coragem para droparmos as mais altas ondas!

Abraços e beijos,

Juarez Arigony

Anúncios

Deixe aqui o seu comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s